Semana Global de Ação para Governantas de Hotel: Exigindo mudança

3 Dezembro, 2023 | Nos holofotes, Turismo, Sem categoria

As governantas desempenham um papel fundamental na garantia do conforto e da limpeza dos nossos hotéis, mas muitas vezes enfrentam questões que ameaçam as suas condições de trabalho, a sua saúde e segurança. Ao celebrarmos outra Semana Global de Ação para Governantas de Hotéis, de 4 a 10 de dezembro de 2023, a EFFAT e a IUF lançam luz sobre as preocupações prementes do setor.

Terceirização: o impacto da pandemia nas condições de trabalho
A pandemia global acelerou a tendência de terceirização no setor hoteleiro, levando a uma série de consequências prejudiciais para as empregadas domésticas. Formas precárias de emprego, como empregos a tempo parcial e múltiplos empregadores, tornaram-se cada vez mais comuns. Esta prática não só resulta em horas de deslocamento não remuneradas e intervalos entre turnos, mas também amplia a carga de trabalho das empregadas domésticas. A falta de perspectivas de carreira, o congelamento de salários e a erosão do equilíbrio entre vida profissional e pessoal agravam ainda mais os desafios enfrentados por estes trabalhadores essenciais.

Saúde e segurança: equilibrando a limpeza com o bem-estar dos funcionários
Distúrbios músculo-esqueléticos: A natureza fisicamente exigente das tarefas domésticas, caracterizada por cargas pesadas e movimentos repetitivos, representa um sério risco para a saúde e o bem-estar das empregadas domésticas. As lesões músculo-esqueléticas, muitas vezes uma consequência destas tarefas extenuantes, precisam de ser reconhecidas e abordadas para criar um ambiente de trabalho mais seguro.

Sobrecarga de trabalho: A “escolha ecológica” oferecida aos clientes, permitindo-lhes optar por não realizar a limpeza diária dos quartos, aumentou inadvertidamente a carga de trabalho das empregadas domésticas. A pressão para limpar mais quartos num prazo limitado não só afecta a qualidade do trabalho, mas também contribui para níveis elevados de stress entre o pessoal de limpeza.

Assédio sexual: O assédio sexual no setor hoteleiro é enorme. Os hotéis e estabelecimentos devem implementar políticas rigorosas e fornecer formação para garantir a segurança e a dignidade do pessoal de limpeza.

Desigualdade salarial: quebrando as cadeias das disparidades de gênero
O trabalho doméstico continua a ser uma mão-de-obra predominantemente feminina e, infelizmente, é um dos sectores onde a desigualdade salarial é mais pronunciada. Apesar do papel vital que desempenham nas operações hoteleiras e na satisfação dos hóspedes, as empregadas domésticas muitas vezes encontram-se em posições mal remuneradas, lutando com o trabalho mais árduo do hotel. Abordar esta disparidade salarial entre homens e mulheres não é apenas uma questão de justiça, mas também um passo no sentido do reconhecimento do valor do trabalho realizado por estas mulheres dedicadas.

Esta Semana Global de Ação para Governantas de Hotel é um apelo para um setor hoteleiro mais equitativo e resiliente.

Segue-nos

Leia nosso último boletim

Campanhas


Eventos